• Últimas Notícias

    sábado, 1 de setembro de 2012

    Especial: 18 anos de Saint Seiya no Brasil! - Parte 1

    Em 1º de setembro de 1994 começava a luta dos defensores de Atena na TV Brasileira!

    Parece que foi ontem. No dia 1º de setembro de 1994, exatamente às 18h30 na saudosa TV Manchete, era exibido o primeiro episódio de Os Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya no original), obra mais famosa de Masami Kurumada. Alcançado um sucesso estrondoso durante sua exibição, Seiya e cia. abriram portas para que as produções nipônicas, antes vistas com desconfiança pelas emissoras, começassem a ser disseminadas por aqui. Se hoje temos o sucesso de Naruto por aqui, com certeza CDZ (como é carinhosamente chamada pelos fãs) teve relativa importância para isso (e não venham me dizer que foi por causa somente da internet, pois muitos otakus que hoje são fansubers, iniciaram sua paixão por animes ao ver o Seiya estraçalhar os adversários com seus meteoros na velocidade do som). Nesse dia onde lembranças do passado nos fazer recordar bons momentos em frente a TV (e nos mostram o quanto estamos  ficando velhos ¬¬), preparamos esse especial com um apanhando geral sobre essa série que resiste ao tempo e aos contra-tempos e se mantêm firme e forte mesmo após 25 anos. Preparados?   


    Senta que lá vem história...                                                                                                             

    É bem verdade que o roteiro de CDZ nunca foi um primor. Diálogos truncados, excessos de "O Quê?" que sempre me fizeram perguntar se os cavaleiros tinham algum problema auditivo e lutas um tanto quanto repetitivas. Mas uma coisa é certa: o Kurumada conseguiu criar uma história única, repleta de mitologia e com personagens capazes de nos fazer amá-los ou odiá-los. A história passa ensinamentos que moldaram muitas pessoas, como amizade, esperança e fé. Pode não ser o mais bem escrito, mas todas as lutas de certa forma tinham um sentido (ou 7), não eram apenas um "lutar por lutar".
    Publicada na revista Weekly Shōnen Jump de 1986 a 1991, a série ganhou uma adaptação para anime pela Toei Animation no mesmo ano em que iniciou a sua publicação, durando até 1989, quando foi cancelada sem abranger a última saga do mangá, que só viria a ser animada em 2002, com o lançamento de OVAs.
    A história mostra guerreiros conhecidos como "Cavaleiros" (ou "Saints" no original) que lutam vestindo armaduras sagradas baseadas nas diversas constelações do zodíaco (daí o nome da série fora do Japão). Os Cavaleiros têm como missão defender deusa grega Atena em sua batalha contra outros deuses do Olimpo que pretendem dominar a Terra. 
    O Mangá é dividido em 3 sagas, Santuário, Poseidon e Hades, além do recente mangá Next Dimension, continuação oficial da série e que envolve a luta anterior contra Hades, o deus do mundo dos mortos.

    A primeira saga: O Santuário
    A primeira saga do mangá, que corresponde aos volumes do 1 ao 13, foi a que mais teve alterações em relação ao mangá. Primeiro no que diz respeito ao visual, já que as armaduras dos cavaleiros de bronze foram redesenhadas de forma livre por Shingo Araki (diretor da animação, falecido no final do ano passado) e a história ganhou vários fillers, principalmente no arcos dos cavaleiros negros e no arco dos cavaleiros de prata. 
    Essa saga começa a narrar a história do órfão chamado Seiya, forçado a ir ao Santuário na Grécia para obter a Armadura de Bronze de Pégaso, uma veste usada pelos 88 guerreiros da deusa grega Atena, conhecidos como Cavaleiros. Após despertar o cosmo, poder dos Cavaleiros que se originou com o Big Bang, Seiya rapidamente se torna o Cavaleiro de Pégaso e volta ao Japão para encontrar sua irmã mais velha. Como a jovem havia desaparecido no mesmo dia em que Seiya foi para o Santuário, Saori Kido, a neta de Mitsumasa Kido, homem que enviou 100 órfãos para treinar e se tornarem cavaleiros, faz um trato com ele e o pede que participe de um torneio chamado de Guerra Galática, onde os órfãos que sobreviveram e se tornaram Cavaleiros de Bronze devem lutar para ganhar a mais poderosa Armadura: a Armadura de Ouro de Sagitário. Se Seiya vencesse o torneio, Saori iniciaria uma busca por sua irmã.
    O torneio é interrompido pelo vingativo Cavaleiro de Fênix, Ikki, irmão de Shun de Andrômeda e que deseja eliminar qualquer traço que o ligue às pessoas que o forçaram a seguir seu treinamento. Ele rouba partes da Armadura de Sagitário e enfrenta os Cavaleiros de Bronze restantes, Seiya, Shun, Shiryu e Hyoga. Com a derrota de Ikki, os Cavaleiros de Bronze são atacados pelos Cavaleiros de Prata, enviados pelo Grande Mestre do Santuário para eliminá-los. Enquanto vencem as batalhas, os Cavaleiros de Bronze descobrem que Saori é a reencarnação de Atena e que o Grande Mestre tenou matá-la ainda bebê. O Cavaleiro de Ouro de Sagitário, Aiolios, salva Saori, mas é morto logo depois. Antes disso, entrega Saori ao seu avô adotivo. Decididos a apoiar Saori, os Cavaleiros partem para o Santuário para enfrentar o Grande Mestre, mas antes de sua chegada, Saori é gravemente ferida por uma flecha. Os Cavaleiros acreditam que o Grande Mestre pode curá-la e tentam encontrá-lo, mas são confrontados por diversos Cavaleiros de Ouro no caminho. Depois de diversas batalhas, Seiya chega ao templo do Grande Mestre e descobre que ele é o Cavaleiro de Ouro de Gêmeos, Saga, que matou o Grande Mestre em busca de poder. Com a ajuda do Cosmo de seus amigos, Seiya derrota Saga e usa o escudo da estátua de Atena para curar Saori. Logo depois, Saga comete suicídio como forma de se punir pelos seus crimes.
    A história do grande mestre também é diferente nas duas versões. No mangá, Saga mata o grande mestre e toma o seu lugar, usando seu manto para tentar matar Atena. Já no anime, Saga mata Ares (não, não é o deus da guerra), irmão do grande mestre e tenta matar Atena, sendo que o grande mestre morreu naturalmente (eu acho) durante a guerra galáctica.

    Um filler muito bem feito: A Saga de Asgard
    O anime se aproximou demais do mangá, por isso os produtores resolveram criar uma saga inteira para dar tempo para o lançamento de novos capítulos. Diferente do que acontece hoje em animes como Bleach e Naruto, o filler criado para CDZ foi algo muito bem vindo. Primeiro porque não comprometeu (em parte) a história. Segundo porque foi muito bem escrita, mantendo a narrativa similar ao restante da série e acabou conquistando os fãs.
    Na trama, Hilda de Polaris é a representante do deus Odin (mitologia nórdica), na Terra, tendo como missão garantir a paz em Asgard. No entanto, após receber de Poseidon o Anel do Nibelungo, Hilda passa a seguir ordens do deus grego, declarando guerra a Atena, convocando os poderosos guerreiros deuses para lutar ao seu lado.

    O avanço dos mares: A Saga de Poseidon
    Segunda saga do mangá, correspondendo aos volumes do 14 ao 18, nessa saga o deus dos mares Poseidon reencarna no corpo de Julian Solo com o objetivo de alagar a Terra. Saori vai até seu templo, onde Julian a aprisiona. Seiya, Hyoga, Shun e Shiryu vão até o templo e enfrentam os subordinados de Julian, os Marinas. Enquanto isso, Ikki descobre que o responsável por esta guerra é o irmão de Saga, Kanon de Gêmeos, que manipulou Julian. Durante a batalha final, o espírito de Poseidon desperta dentro de Julian e consegue derrotar seus oponentes. Salva pelos Cavaleiros, Saori guarda a alma de Poseidon em sua ânfora.
    Essa saga não teve muitas alterações em relação ao mangá, contudo seu começo é diferente, já que Poseidon tem relativa importância na saga de Asgard.

    O imperador das trevas: A Saga de Hades
    A mais importante saga da série, correspondendo aos volumes do 19 ao 28 do mangá, a última saga do mangá mostra a ascensão de Hades, deus do submundo e o maior inimigo de Atena, após se libertar de sua prisão depois de 243 anos. Ele revive os Cavaleiros de Ouro e o Grande Mestre Shion de Áries e os envia ao Santuário para matar Atena. Os Cavaleiros de Ouro que restam conseguem rechaçar o ataque, mas Saori comete suicídio. Ela faz isso para ter acesso ao submundo e enfrentar Hades com a ajuda de seus Cavaleiros. Shion revela que a intenção real dos Cavaleiros revividos era entregar a Saori sua própria Armadura, e a entrega para o grupo de Seiya antes de morrer novamente. No submundo, os Cavaleiros de Bronze enfrentam os Espectros de Hades. Na batalha final contra o deus da morte, os Cavaleiros adquirem as Armaduras Divinas (Kamuis) e juntamente com Saori, matam Hades. Porém, Seiya se "sacrifica" ao receber o ataque final de Hades e os Cavaleiros voltam para a Terra com seu corpo.

    Uma nova batalha se inicia: Next Dimension
    Quando todo mundo pensava que a série havia acabado, em 2006 Kurumada anunciou um novo mangá, desta vez totalmente em cores e que a princípio contaria a batalha da guerra santa anterior. Contudo, a série introduziu os personagens do presente, mostrando que Seiya estava vivo, mas morreria em 3 dias devido a uma maldição de Hades que suprimia sua vida. Para salvá-lo Atena e Shun foram até Ártemis, deusa da lua e irmã de Atena, buscando um meio de voltar ao passado e salvar o pégaso. Ártemis revela que o único capaz de mandá-la ao passado é Cronos, que o faz, mas não antes de transformar Atena em um bebê. Com a ajuda de Temma, antigo cavaleiro de pégaso, Shun tenta chegar ao encontro de Atena, que caiu em seu templo, lutando contra cavaleiros de ouro traidores e espectros de Hades. Ikki também chega ao passado para ajudar. No presente Seiya é atacado por Tohma, um anjo caído, sendo salvo por Hyoga. A série continua sendo publicada no Japão, porém numa periodicidade inconstante.

    Outras histórias                                                                                                                     
    Devido ao seu sucesso, a série ganhou diversos spin-offs:

    • Episódio G: A história acontece 7 anos antes dos eventos do mangá original e 6 anos após a morte do Cavaleiro de Ouro Aioros de Sagitário, com Aioria de Leão como protagonista. Durante a série, os Titãs são trazidos de volta à vida com a missão de recuperar sua terra, e os Cavaleiros de Ouro são enviados para impedi-los e proteger os humanos. Esta nova série de mangá é escrita e desenhada por Megumu Okada, com a autorização de Kurumada. Os capítulos são publicados na Champion RED, com 14 volumes já lançados.
    • The Lost Canvas: Junto com Next Dimension, começou a ser publicada em 2006 na revista Shonen Champion, contando uma interpretação alternativa da Guerra Santa que ocorreu no século XVIII, 250 anos antes da série original. A história se desenrola a partir de Tenma, o Cavaleiro de Pégaso, e seu amigo Alone, que viria a se tornar Hades, seu maior inimigo. Com os traços e história de Shiori Teshirogi, a história é supervisionada pelo Kurumada, ou pelo menos deveria ser, já que ela é bem diferente de Next Dimension, principalmente em relação aos nomes de personagens.
    • Ômega: Em abril de 2012 começou a ser  transmitido no Japão uma nova série baseada nos defensores de Atena, dessa vez se passado o presente e com novos cavaleiros. Na trama, que acontece no futuro, 25 anos depois da guerra santa narrada no mangá original, a deusa Atena ainda está na Terra enfrentando o mal como vem fazendo   há milênios. Atena e sua nova geração de cavaleiros se preparam para enfrentar um novo inimigo que surge nesta nova era, em que Seiya de   Pégasus, o protagonista do mangá de Kurumada, é reverenciado como um cavaleiro lendário. Embora se especule que se trata de uma continuação oficial, o Kurumada não esteve envolvido com a criação da história, podendo ela ser descartada da cronologia assim como Lost Canvas. 

    • Gigantomaquia: é a primeira Light novel (livro) que conta uma saga paralela da franquia de anime e mangá Os Cavaleiros do Zodíaco, de Masami Kurumada. Foi escrito por Tatsuya Hamazaki e aprovado por Kurumada como uma história oficial. 
       O romance conta a luta dos Cavaleiros de Atena contra os Gigas (
      Gigantes), aliados dos Titãs e liderados pelo deus Tífon, que comanda por meio do "Temor". Usando o seu Cosmo de deus, consegue também aumentar o poder dos Gigas, dando trabalho para os Cavaleiros de Bronze. Alguns cavaleiros novos aparecem na história, incluindo Mei, o jovem que deve selar esse mal. A história é divida em dois volumes: A História de Mei e A História de Sangue.
    • Guerreiros Azuis: A saga dos Guerreiros Azuis, conhecidos como Blue Warriors ou Guerreiros do gelo, é uma saga solo de Hyoga de Cisne, existente apenas no mangá de Os Cavaleiros do Zodíaco É uma saga pequena em relação à outras. Esta saga nunca teve uma adaptação para o anime e só foi   publicada no volume 13 do mangá japonês (versão tankohon), e no volume 22 do mangá brasileiro. A história começa após o encerramento da Saga do Santuário. No anime essa saga é inexistente, já que logo após a Saga do Santuário foi criada, exclusivamente para o anime, a Saga de Asgard, baseada no filme A Grande Batalha dos Deuses.



    Os filmes                                                                                                                        
    A série teve 5 filmes lançados:




    •  O Santo Guerreiro:  é o primeiro filme da série. Foi lançado em 1987 de forma independente, não seguindo a cronologia do anime nem do mangá. Na trama  A deusa da discórdia, Éris, que ama o caos e a discórdia, foi aprisionada no passado dentro da Maçã de Ouro (É de onde vem o termo pomo da discórdia) que acaba caindo na Terra guiada pelo cometa Leparus. Ergue seu santuário e ressurge na época atual com o próposito de tramar contra a vida de Saori Kido, que é a reencarnação da deusa Atena. Éris reencarna temporariamente no corpo da jovem Eiri e sequestra Saori Kido com o objetivo de sugar todo seu cosmo. Para isso, coloca a maçã dourada no peito de Saori e começa a retirar a energia vital de Atena. Para evitar isso os cinco Cavaleiros de Atena levantam-se contra os cinco Cavaleiros Fantasmas, antigos cavaleiros de Atena, ressuscitados por Éris. Os cavaleiros de Atena têm até o pôr do sol para salvá-la e por fim às ambições da deusa do mal, que pretende ressuscitar se por completo e trazer a vida todos os guerreiros mortos no passado e condenados por Atena por cometerem atos diabólicos. Se Éris ressuscitar por completo este mundo estará perdido! Só os cavaleiros da esperança podem por fim a seus intentos malignos!
    •   A Grande Batalha dos Deuses:  é o segundo filme da série, foi lançado em 1988 e serviu de inspiração para a criação da Saga de Asgard,  sendo inspirado na mitologia nórdica, desfocando um pouco da grega que até então era mais abordada.  O filme começa com Hyoga salvando um soldado de Odin, mas este morre dizendo que a batalha dos deuses iria começar. O cavaleiro de cisne desaparece e, então, os outros cavaleiros de bronze vão para Asgard tentar descobrir o seu paradeiro, porém Saori Kido é sequestrada pelo representante de Odin, Durval. Assim começa uma batalha contra os Guerreiros de Asgard.
    •  Lenda dos Defensores de Atena: lançado em 1988, o filme teve um grande sucesso tanto no Japão quanto no Brasil, sendo o de segunda maior bilheteria, superado apenas por Prólogo do Céu. Na história, Abel, filho de Zeus e irmão de Atena, é apresentado como outro deus do sol (na mitologia grega o verdadeiro deus do sol é Hélios). Abel tenta destronar seu pai e se tornar o deus dos deuses, mas foi derrotado por Zeus e Apolo. Após a morte de Abel, os deuses apagaram todos os registros de sua existência como punição, para que as gerações vindouras jamais soubessem de sua existência. Porém, devido às blasfêmias humanas nos dias atuais, os deuses revivem Abel, dando-lhe a missão de destruir a humanidade e devolver a Terra para o domínio do Olimpo. Abel, então, revive três cavaleiros de Atena que viveram na era mitológica, que passam a ser chamados de cavaleiros da Coroa do Sol. Todos eles são protegidos por armaduras de bronze de Atena, reforçadas com armaduras da coroa do sol, por Abel. Os Cavaleiros de Ouro mortos na saga das doze casas também são ressuscitados para que lhe ajudem na sua missão. Após reencontrar Atena, Abel diz que irá levá-la ao Santuário da coroa do sol com seus guerreiros, o que a leva a abandonar os Cavaleiros de Bronze. Saori no começo mente para Abel, dizendo que aceita a destruição da Terra pelos deuses, mas depois ataca Abel e acaba sendo morta por seu irmão que diz que levará sua alma até os Campos Elíseos. Inconformados com a morte de Atena, os cavaleiros decidem enfrentar os ressuscitados Cavaleiros de Ouro e os Cavaleiros da Coroa do Sol, mesmo que isso signifique pecar contra os deuses. Saga, Shura e Camus decidem lutar por Atena e acabam sendo mortos pelos guerreiros de Abel. Máscara da Morte e Afrodite permanecem fiéis a Abel, mas são derrotados por Shiryu e Ikki, respectivamente. Ao contrário do que foi dito na revista "Herói" que saiu no Brasil na década de 1990, Abel não tem ligação alguma com o personagem da mitologia babilônica. Ele é um personagem inventado especialmente para o filme, inspirado em relatos de mitologia que diziam que Zeus teria um filho que o superaria se nascesse, sendo Zeus obrigado a impedir o nascimento de tal filho. O filme antecipa acontecimentos da Saga de Poseidon (Hyoga e Shiryu vestindo armaduras de ouro), e da Saga de Hades (ressurreição dos cavaleiros de ouro).

    •   Os Guerreiros do Armagedomé o quarto filme da série. Desta vez, a história deixa de lado seus usuais contextos mitológicos para girar em torno do cristianismo. Foi o filme mais polêmico da série, tanto que uma das cenas foi cortada por mostrar uma Bíblia sendo queimada.Lúcifer era um dos anjos mais poderosos, dotado de beleza e intelecto pelo Deus Onipresente, mas tentou ser superior a Deus e acabou sendo derrotado pelo Arcanjo Miguel (representado por Atena na mitologia grega). Após derrotarem os deuses Poseidon, Éris e Abel, Atena e seus cavaleiros acreditaram que finalmente haveria paz sobre a Terra. Ledo engano, pois quando as almas dos três deuses se juntaram no inferno, Lúcifer foi despertado. Durante a noite, os "Anjos da Morte", subordinados de Lúcifer, atacam os Cavaleiros de Ouro no santuário e Lúcifer invade o templo de Atena, impiedosamente degolando a estátua da deusa que significa a paz sobre a Terra.   A partir daí começam uma série de desastres naturais, todas orquestradas pelos três deuses malévolos ressuscitados pelo Senhor dos Demônios: Poseidon devasta cidades litorâneas inteiras com seus maremotos gigantes, Abel desperta todos os vulcões para dissolver o mundo em lagos de fogo e cinzas, e Éris cria pestes mortais para dizimar todos os seres vivos existentes. Mais tarde, Atena percebe que o ocorrido só poderia ter sido feito por alguém terrivelmente maligno, nessa hora Lúcifer em pessoa aparece com seus subordinados, os quatro Anjos da Morte, e diz que chorar não adiantará nada. Seiya, Shun e Hyoga decidem lutar, mas são facilmente derrotados, pois estavam sem suas armaduras. Lúcifer vai embora e diz que estará esperando por Atena no Pandemônio.
    • Prólogo do Céu: é o quinto filme da série, lançado em 2004 e exibido oficialmente no dia 2 de novembro de 2006 no Brasil. Ao contrario dos quatro primeiros filmes da serie, este segue a cronologia do anime, trazendo uma visão mais madura da série. O filme se passa após os eventos da Saga de Hades. Depois das guerras santas contra Poseidon e Hades, os deuses do Olimpo ficam furiosos com Atena e seus cavaleiros. Artemis, a deusa da Lua, surge com o intuito de castigar os Cavaleiros de Bronze por terem se voltado contra os deuses. Para protegê-los, Saori Kido oferece a Terra à Artemis e jura sua própria vida como promessa de que eles nunca mais lutariam. O acordo então é aceito e a Deusa da Lua passa a governar a Terra. Entretanto, ao verem o Santuário de Atena dominado, os Cavaleiros se rebelam, mesmo não entendendo ao certo o que estava acontecendo. Assim, Saori teve que entregar sua vida, já que havia prometido que Seiya e os outros nunca mais lutariam. É neste momento que seu sangue passa a ser derramado. Como os guerreiros estavam lutando contra a vontade de Atena, os mesmos estavam muito fracos, sendo golpeados facilmente durante as lutas. No decorrer do filme alguns fatos são explicados, como o irmão de Marin ser Tohma (Ícaro), e não Seiya. Os cavaleiros de ouro, que morreram na destruição do Muro das Lamentações, têm suas almas seladas pelos deuses do Olimpo como forma de punição. Um pouco antes do lançamento do filme, foi lançado, no Japão, um mangá que serve de intersecção entre a Fase Elíseos da Saga de Hades e o quinto filme. Vivido em duas cenas. A primeira mostra Saori refletindo sobre o futuro ao lado de um catatônico Seiya, e a outra mostra Tohma na prisão do Olimpo, conversando com um deus misterioso.

    No próxima postagem, Dublagem brasileira, temas de abertura e algumas curiosidades!

    Clique aqui para acessar a segunda parte do especial!

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Esse espaço é destinado para comentários e discussões sobre as notícias do site.

    Os comentário são livres, mas estaremos de olho pra que ninguém passe dos limites. Comentários que contenham ofensas, links para outros sites ou materiais de conteúdo adulto serão moderados.

    Caso deseje firmar parceria, entre em contato conosco através do nosso e-mail animefanzines@outlook.com

    Seja educado, respeite a opinião dos outros. Faça desse espaço um ambiente saudável para o diálogo. Não queremos ser obrigados a mandar ninguém pra outra dimensão ;)

    Sobre Nós

    Sobre Nós
    Notícias e informações sobre o universo dos animes, mangás, games e muito mais sobre esse lado pop da cultura japonesa.